27 de julho de 2012

rasto


Pescando ao espello

desde a popa cem vénus espelhamos
absortos no seu nascimento
por ver de apanhar alguma vieira

nom é amor mas formosura
que nos alimenta


a imagem, tirada na arouça, forma parte do arquivo a memoria do mar, do museu do mar de galiza. a técnica do espelho é utilizada tanto para a pesca do polvo como para a vieira.

2 comentários:

  1. Agora entendo mellor o poema! ;-)

    ResponderExcluir
  2. para isso vos fago o bló, para que me entendades...

    ResponderExcluir